Banner Contato

Notícias

Voltar

31/08/2015

Aprendiz Legal na Cedae também vai incluir jovens com deficiência intelectual e Síndrome de Down

A Fundação Roberto Marinho, o CIEE- RJ e a Cedae (Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) assinaram um novo termo de cooperação durante a formatura de 91 alunos do Programa Jovens Aprendizes na Nova Cedae.  Agora, o programa que já acontece na empresa desde 2009, e que já formou 728 jovens, vai passar a incluir pessoas com deficiência intelectual e Síndrome de Down. O Centro de Integrado Empresa Escola do Rio de Janeiro (CIEE-RJ) vai capacitar os jovens aprendizes para o trabalho na Cedae (Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) e os estudantes vão atuar nas áreas de administração, contabilidade, financeira, informática, comercial e jurídica. 

O presidente da Cedae, Jorge Briad, falou sobre sua experiência na empresa, onde  começou a trabalhar  servente: “Eu comecei na Cedae como servente e hoje estou no cargo de presidente, portanto, sou a prova viva de que o estudo e a determinação pode nos levar bem longe", disse.

A presidenta do RioSolidário, Maria Lúcia Horta Jardim, destacou a parceria e a confiança no trabalho com os jovens. "Temos parceria com a Fundação Roberto Marinho, com o CIEE e com a Cedae, o que é importantíssimo. Deposito muita confiança nessas parcerias e nos jovens, já que eles terão muitas oportunidades pela frente. Claro que ainda terão muito o que avançar, mas o primeiro passo já foi dado", disse.

O formando Vinnie Teixeira, 21 anos, elogiou o programa. “O Jovem Aprendiz faz com que você seja inserido no mercado e sem essa obrigatoriedade de ter experiência anterior. Aí você acaba adquirindo a experiência no dia a dia do trabalho".

Fonte: Agência Brasil

Voltar